Arquivo da categoria: Uncategorized

Tratado sobre a loucura

Tudo começou com o jantar sorrindo para mim.

Passou um tempo e eu comecei a refletir sobre as mudanças profundas pelas quais venho passando. Pelo fato d’eu saber que meus neurônios, as vezes, entram em curto e pelo temor que isso seja progressivo e degenerativo (e o pior, que isso possa ser passado adiante com maior facilidade que um Fiat 147 azul).
Estou enlouquecendo. O mais aflitivo e, talvez, injusto, percebo a evolução da doença. Já não sou eu mesmo, minhas atitudes e promessas de nada mais valem.

Sou um cidadão modelo, não jogo lixo na rua, paro para os velhos inúteis atravessarem a rua, cedo meu lugar aos incapacitados e faço tudo isso por acreditar nesses valores, por boa índole, mas já sou capaz de trair a mim mesmo. Ética das cavernas, fidelidade dos mercadores do século XV.
Minha verdade é como a verdade de todos vocês, é a meia verdade esplendidamente retratada pelo poeta Carlos Drummond de Andrade:

Verdade
(Carlos Drummond de Andrade)

A porta da verdade estava aberta,
mas só deixava passar
meia pessoa de cada vez.

Assim não era possível atingir toda a verdade,
porque a meia pessoa que entrava
só trazia o perfil de meia verdade.
E sua segunda metade
voltava igualmente com meio perfil.
E os meios perfis não coincidiam.

Arrebentaram a porta. Derrubaram a porta.
Chegaram ao lugar luminoso
onde a verdade esplendia seus fogos.
Era dividida em metades
diferentes uma da outra.

Chegou-se a discutir qual a metade mais bela.
Nenhuma das duas era totalmente bela.
E carecia optar. Cada um optou conforme
seu capricho, sua ilusão, sua miopia.

Não se iludam, não criem expectativas, eu já me desiludi muito e a muitos também. Não posso mais prometer nada sendo que não tenho controle sobre aquilo que outrora achava que tinha.
Pelo menos faço aquilo que grande parte de vocês não faz – Me escarneço em público antes de escarnecer o alheio. Sempre procuraram me doutrinar a controlar os instintos que me levam a declarar abertamente tudo isso. Não posso, não consigo ir contra minha natureza.

E por favor, tudo isso não é endereçado diretamente a ninguém, não tem destinatário certo nem recado subliminar. Não se trata de indireta, é diretamente minha massa cinzenta defecando.
Pelo 3º dia preciso do dobro da dose de Rivotril para apagar. Carlos Drumond de Andrade é poesia, mas Geto Boys também é.

MY MIND PLAYING TRICKS ON ME.